Ir para a » Página Inicial
Home / Lançamentos

  

LIVROS E DVD LANÇADOS NO VI CBHE

 

 

 

 

 

O Ensino e a Pesquisa em História da Educação
Autores: Anamaria Gonçalves Bueno de Freitas; Ester Fraga Vilas-Bôas Carvalho do Nascimento; Jorge Carvalho do Nascimento e  Luiz Eduardo Meneses de Oliveira (Org.)
Editora:
Editora da Universidade Federal de Alagoas
Site da editora:
www.edufal.com.br/2008/index.php
E-mail para contato:
jocarna@uol.com.br

Resumo do livro: n
a obra estão reunidos os textos das conferências que aconteceram durante o V Congresso Brasileiro de História da Educação, realizado em Aracaju, no ano de 2008. São autores dos 14 artigos: Manuel Ferraz Lorenzo, Eliane Marta Teixeira Lopes, Maria Helena Camara Bastos, Clarice Nunes, Maria Cristina Soares de Gouvea, Karl Lorenz, Diana Gonçalves Vidal, Maria Juraci Maia Cavalcante, Joaquim Pintassilgo, Wenceslau Gionçalves Neto, Lilian Anna Wachowicz, Jaime Caiceo Escudero, Vera Teresa Valdemarin e Nicanor Palhares de Sá.

 

 

 

 

As Instituições Escolares e a Formação Docente: um destaque histórico do Rio de Janeiro, do Norte e Noroeste Fluminense
Autora: Liéte Oliveira Accácio (Org.)
Coautores:
Dayse Martins Hora; Juliana Trigueiro Caroca de Queiroga Lopes; Marilene de Almeida Viana Reid Silva; Regina Márcia Gomes Crespo; Valéria Maria Neto Crespo de Oliveira Lima; Virginia Georg Schindhelm
Editora:
CRV
Site da editora:
www.crv.com
E-mail para contato:
loa@uenf.br

Resumo do livro: o
livro discute, a partir da visão histórica da educação, o desenvolvimento da política educacional no Brasil, especialmente em relação à profissão docente, à formação de professores e às instituições escolares que os formam.  Junta estudos do projeto de pesquisa “A Profissão Docente: as políticas, a formação e as instituições no norte e noroeste fluminense” e estudos históricos de tradicional instituição oficial de formação docente da cidade do Rio de Janeiro, além de texto que apresenta instituição de cunho particular. Utiliza fontes primárias, em pesquisa bibliográfica e análise documental das diretrizes do poder federal e do estado do Rio de Janeiro, em documentação do acervo das instituições pesquisadas e jornais institucionais. Os artigos articulam teoria e prática, fundamentação e experiência, trabalham com histórias de vida e observam defesas da profissão docente relacionadas ao passado, contrastadas ao contexto de descrédito e desconstrução atual. O livro analisa as diretrizes das políticas públicas da gênese, criação e desenvolvimento de algumas instituições escolares formadoras do professor, do Rio e do norte e noroeste fluminense, em diversos momentos da história.

 

 

 

 

História dos métodos e materiais de ensino: a escola nova e seus modos de uso
Autora: Vera Teresa Valdemarin
Editora: Cortez
Site da editora: www.cortezeditora.com.br
E-mail para contato: vera@fclar.unesp.br

Resumo do livro: o presente livro dedica-se ao exame de uma questão central do campo pedagógico,  aquela referente à compreensão do processo de transformação  de valores, princípios e finalidades em práticas pedagógicas. Para tanto, procura-se captar os conceitos educacionais em seu movimento de formação, que abrange a proposição de novos fundamentos, as tentativas de derivação de novas práticas e as estratégias utilizadas para fazê-las circular. Esse processo é construído tanto por filósofos e pensadores radicais, como por professores em sala de aula; ele é dinâmico, desenvolve-se com ritmos diferenciados e associa ideias e práticas num mesmo lugar: a pedagogia. Mais refratárias às mudanças, as práticas são mais permanentes; mais abertas à inovação, as ideias precisam de lastro para serem conformadas. Compreender esse processo pode contribuir para interferir na cultura pedagógica religando esferas, em geral, fragmentadas.

São analisadas as proposições teóricas de John Dewey, elaboradas no início do século XX, que tiveram como referência a experiência pedagógica por ele dirigida na escola elementar da Universidade de Chicago (1896-1904), a partir da qual estabeleceu novas bases epistemológicas sobre o conhecimento, articuladas a procedimentos didáticos experimentados em situação. No processo de ampla difusão dessa concepção foram incorporadas novas interpretações e estabelecidos novos modos de praticá-las. Assim, na articulação do âmbito prático-doutrinário são produzidas versões da teoria, cujos sentidos e significados tornaram-se evidentes em diferentes manuais didáticos, tomados nesse estudo como fonte documental, para a compreensão dos diferentes sentidos adquiridos por essa concepção pedagógica.

 

 

 

 

História da Educação no Espírito Santo: vestígios de uma construção
Autores: Regina Helena Simões; Sebastião Pimentel Franco e Maria Alayde Alcantara Salim
Editora: Edufes
Site da editora: www.secretariadecultura.ufes.br/editora_catalogo.php?id_menu=47
E-mail para contato: reginahe@terra.com.br

Resumo do livro: a presente publicação é concebida em uma dupla perspectiva, ambas relevantes no tratamento do conhecimento produzido: o trabalho de mapeamento da trajetória da pesquisa sobre a história da educação no Espírito Santo com preocupações de historicizar um processo que não foi homogêneo e, como apontam seus autores está repleto de silêncios e com muitos vestígios ainda negligenciados e que passaram despercebidos em uma construção histórica mais linear e formalizada.

 

 

 

 

Violência, Indisciplina e Educação
Autor: Leoni Maria Padilha Henning e Maria Luiza Macedo Abbud
Editora: EDUEL
Site da editora: www.uel.br/editora
E-mail para contato: mabbud@uel.br

Resumo do livro: o livro, publicado pela EDUEL, destaca que o tema violência e indisciplina tem sido recorrente nas referências aos problemas atuais que a escola vem enfrentando e que sua discussão apresenta-se, em alguns espaços, de forma banalizada e, em outros, de forma sensacionalista.

De acordo com a publicação, o problema não se restringe ao âmbito escolar, no entanto afeta diretamente este espaço, considerado privilegiado a partir da modernidade como responsável pela formação de novas gerações.

Desta forma, orientadas por tais percepções, as organizadoras intentaram ampliar a compreensão da questão a partir da apresentação dos múltiplos olhares sobre o tema, exigidos pela sua complexidade.

 

 

 

 

Vinde a mim os pequeninos: práticas educativas da Igreja Católica (1945 – 1955)
Autor: José Mateus do Nascimento
Editora: Editora Universitária UFPB
Site da editora: http://www.editora.ufpb.br

Resumo do livro: o livro trata do resultado de uma criteriosa pesquisa realizada pelo Professor José Mateus do Nascimento, resultado de sua dissertação de mestrado,  realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação, da UFRN, no Grupo de Pesquisa Educação, História e Práticas Culturais. Neste estudo, o autor analisa as atividades pastorais da Arquidiocese de Natal, junto às crianças carentes da cidade do Natal e municípios vizinhos, no âmbito do denominado Movimento de Natal.

A história desse Movimento necessita ser reconstituída. Foi um movimento popular, desenvolvido nos anos que se seguiram à Segunda Guerra Mundial, de ampla repercussão, não só no Brasil, mas também no exterior. Alguns estudos já foram realizados, mas não o suficiente para recuperar a sua importância. Neste trabalho, o autor realiza um recorte do total das atividades do Movimento de Natal, desvelando a atuação da Igreja especificamente com as crianças: algo até então desconhecido. Apenas era conhecida a atuação junto aos adultos. Somente a perspicácia e persistência de um pesquisador arguto conseguiriam descobrir essa nuança, até então não percebida pelos demais, vindo a preencher uma lacuna.

 

 

 

 

 

Educação Physica: a arqueologia de um impresso
Autor: Omar Schneider
Editora: Edufes
Site da editora: www.secretariadecultura.ufes.br/editora_catalogo.php?id_menu=47
E-mail para contato: omarvix@gmai.com

Resumo do livro: este livro é um estudo consistente da revista Educação Physica, publicada entre 1930 e 1940. Não opõe mecanicamente a publicação a seu contexto social, como é corrente em estudos de história da educação que ignoram a especificidade das práticas simbólicas na construção da realidade social. Definindo a publicação como resíduo de uma rede de práticas em que homens auto-representados como apóstolos da Educação Física prescreviam um padrão de civilidade em que o aperfeiçoamento físico deveria superar os supostos males de origem do povo brasileiro, o autor a estuda como território da autoridade de um grupo de poder. Com isso, trata de algo fundamental, que geralmente é esquecido nos estudos que usam as revistas educacionais como simples veículos de conteúdos: a materialidade do impresso, ou seja, a própria forma material como a revista é montada como regulação dos processos de produção, circulação e consumo dos saberes escolares. Por outras palavras, demonstra que a própria ordenação da revista é uma formalidade prática, um artifício datado: a forma dada à sua ordenação material é elemento significativo que evidencia o modo ou os modos de organização de um projeto cultural particular.

Marta Maria Chagas de Carvalho

 

 

 

 

História da Educação: novos olhares, velhas questões
Autores: Maria do Amparo Borges Ferro; Francisco de Assis de Sousa Nascimento; Lourenilson Leal de Sousa
Editora: EDUFPI
E-mail para contato: amparoferro@uol.com.br

Resumo do livro: na Obra "História da Educação: novos olhares, velhas questões" são apresentadas experiências de pesquisa na área de História da Educação, dialogando com outros campos do conhecimento como a sociologia, antropologia e filosofia, instrumentalizadas por uma diversidade de métodos e riqueza de fontes. Este esforço é empreendido por jovens e experientes pesquisadores que integram ou são colaboradores do Núcleo de Educação, História e Memória - NEHME da Universidade Federal do Piauí.

 

 

 

 

Cazuza e o sonho da escola ideal
Autora: Maria do Amparo Borges Ferro
Editora: EDUFMA
E-mail para contato: amparoferro@uol.com.br

Resumo do livro: obra premiada  no Programa de Apoio às Publicações de Livros na àrea de História da Educação - UFMA - 2010, por ocasião do Congresso Luso Brasileiro de História da Educação - 2010. Tese defendida na USP em 2000. Versa sobre História da Educação com base em fontes literárias, tomando como eixo "O Cazuza" de Viriato Corrêa.

 

 

 

 

Militares e educação em Portugal e no Brasil
Autoras: Claudia Alves; Maria Nepomuceno de Araújo
Coautores: Joaquim Pintassilgo, Márcio Couto Henrique, Amarilio Ferreira Neto, Omar Schneider, Beatriz Rietmann da Costa e Cunha, Manuela Teodoro, Maria Teresa Santos Cunha, Laura Nogueira Oliveira
Editora: Quartet
Site da editora: www.quartet.com.br
E-mail para contato: livraria@livrariamuseudarepublica.com.br

Resumo do livro: o livro Militares e educação em Portugal e no Brasil é resultado do investimento de pesquisadores portugueses e brasileiros em uma temática de estudos ainda pouco explorada na investigação educacional. Os textos da coletânea abordam a relação que se construiu entre dois grandes campos sócio-culturais, o militar e o escolar, submetendo tal aproximação a interrogações que percorrem diversos aspectos relativos à cultura escolar, à profissão docente, às instituições escolares e aos projetos políticos de escolarização. A temática em torno da qual se construiu o livro começa a despertar o interesse de pesquisadores que, frente a dados que emergiram de suas fontes, têm procurado contribuir com a reflexão a respeito das relações entre o campo militar e a educação escolar moderna. Os trabalhos que reúne abordam aspectos dessa relação em tempos e espaços diferenciados. No seu conjunto, revelam a participação de oficiais militares, de distintas formas, na construção da escola: como professores e dirigentes da educação – tanto militar como civil –, como participantes na construção curricular, como defensores da difusão de escolas elementares, como agentes do debate em torno de projetos e modelos educativos. Sendo parte dos agentes letrados em sociedades nacionais como a brasileira e a portuguesa, em que a escolarização foi lenta e restritiva, os oficiais militares inserem-se como personagens das tramas pelas quais esses processos ocorreram. A coletânea propõe, dessa forma, uma reflexão acerca da especificidade desse grupo de intelectuais, cuja prática social é favorecida por sua formação e pelo papel que desempenham na construção dos Estados Nacionais.

 

 

 

 

Clássicos da Educação Brasileira, vol. 2
Autoras: Maria do Carmo Xavier; Juliana Cesário Hamdan (Org.)
Editora: Mazza Edições
Site da editora: julianach@globo.com
E-mail para contato:

Resumo do livro: este é o segundo volume da Série Clássicos da Educação Brasileira que vem a público. Por meio dele damos continuidade aos propósitos da Coleção Pensar a Educação, Pensar o Brasil.Mantendo o objetivo de combater o esquecimento dos nossos clássicos, trazendo para o debate idéias e diagnósticos de intelectuais brasileiros que no passado estiveram interessados em entender nossas mazelas, dilemas e virtudes por meio de estudos sobre a educação, esse segundo volume oferece ao leitor outras perspectivas de análise sobre a educação brasileira. Nele estão reunidas resenhas dobras que foram publicadas originalmente entre 1890 e 1980.

Nesse intervalo de quase um século, menos do que o contexto histórico, o que congrega as obras resenhadas, é a partilha de uma reflexão em torno do papel da educação pública na construção de um Brasil melhor. Nesse sentido, o que emerge em cada uma das obras é a ideia de que a consolidação da nação brasileira teria a educação como ponto forte de confluência.

Contudo, ainda que essa idéia assuma centralidade, a riqueza das análises elaboradas pelos pesquisadores convidados evidencia a diversidade de matizes dos discursos, argumentos, posicionamentos e tensões presentes no debate educacional brasileiro, numa perspectiva longeva.

É possível dizer que a grande virtude desse segundo volume, além de convidar o leitor a conhecer e divulgar a produção intelectual brasileira é a de lhe oferecer uma posição privilegiada de leitura: num único lance distinguir aspectos particulares de cada realidade temporal e abarcar com segurança o conjunto das reflexões.  Elaboradas por destacados pesquisadores do campo da educação, mais do que uma apresentação, as resenhas contidas neste volume inserem as obras selecionadas no conjunto da produção do autor/autora, inscrevendo-a no contexto das questões que mobilizavam o debate social e intelectual à época em que foram produzidas.  Escritos com esmero e rigor teórico, os textos-resenhas desenham um criterioso panorama do pensamento educacional brasileiro e oferecem contribuições para o aprimoramento da pesquisa científica no Brasil.

 

 

 

 

Estudos de história da Alfabetização e da Leitura na Escola
Autoras: Cleonara Maria Schwartz; Eliane Peres; Isabel Cristina Alves da Silva Frade (Org.)
Editora: Editora EDUFES
Site da editora: www.secretariadecultura.ufes.br
E-mail para contato: icrisfrade@gmail.com

Resumo do livro: os textos reunidos nesta publicação compreendem estudos sobre a história da alfabetização, nos séculos XIX e XX,  empreendidos por pesquisadores de seis estados brasileiros que participam do programa interinstitucional Cartilhas escolares – ideários, práticas pedagógicas e editoriais: construção de repertórios analíticos e de conhecimento sobre a história da alfabetização e das cartilhas (MG/RS/MT/RJ/ES/AM – 1870-1996). No livro o leitor encontrará alguns textos que abordam autores de livros e métodos de alfabetização que circularam no Brasil e que se tornaram significativos para cada estado. Tais trabalhos trazem evidências sobre as características de determinados livros, sobre a produção de alguns autores e sobre a circulação de suas obras, focalizando produções portuguesas como a de Emilio Achilles Monteverde, autor da cartilha portuguesa Methodo Facillimo para aprender a ler e escrever no mais curto espaço de tempo possível tanto a letra redonda quanto a letra manuscripta (AM) e produções brasileiras de autores como Abílio César Borges, autor do Primeiro livro de leitura para uso da infância brasileira (MG/AM), Arthur Joviano, autor do Primeira Leitura, Methodo para ensinar a ler (MG) e Nelly Cunha (RS).  Além disso, são apresentados textos sobre: métodos de alfabetização e sobre suas apropriações por professores, focalizando o método da Abelhinha(RS); um trabalho que discute o ensino inicial da leitura e da escrita na rede escolar municipal de Niterói/RJ entre os anos 1959 e 2000 e um outro que apresenta um balanço da pesquisa sobre história da alfabetização na UFMT. Os demais textos tematizam a educação primária, métodos de ensino e os livros de leitura no Espírito Santo no período de 1890 a 1930, a circulação de concepções de linguagem, de texto e de leitura no E. S. (1911-1930) e o sucesso e fracasso na escola primária, mediante a análise da relação entre as prescrições para o ensino da leitura e escrita e as apropriações de uma instituição escolar (MG).

 

 

 

 

Arquivos digitalizados da Escola Estadual Maria Constança Barros Machado (Campo Grande/MS) - DVD
Autoras: Eurize Caldas Pessanha, Wanderlice da Silva Assis
Site de divulgação: www.oce.ufms.br
E-mail para contato: eurizep@hotmail.com

Resumo do DVD: trata-se de um conjunto de quatro volumes em DVDs contendo arquivos digitalizados da Escola Estadual Maria Constança Barros Machado que disponibilizam para a comunidade científica, fontes não convencionais (segundo a historiografia tradicional) da história da educação em Campo Grande/MS.

 

 

 

 

Fontes e Métodos em História da Educação
Autores: Célio Juvenal Costa, José Joaquim Pereira Melo, Luiz Hermenegildo Fabiano (Org.)
Editora: Editora da UFGD
Site da editora: www.ufgd.edu.br/editora
E-mail para contato: alessandra_furtad@yahoo.com.br

Resumo do livro: pesquisadores de diferentes instituições de ensino superior deixam nessa coletânea contribuições imprescindíveis para pesquisas em História e historiografia da educação brasileira. O uso das fontes é tratado numa perspectiva metodológica que instiga iniciativas nessa área de conhecimento para futuras pesquisas, bem como consolida uma vertente teórica que situa o lastro histórico que permeia princípios educacionais da atualidade.

 

 

 

 

Feira da sucata e da barganha
Autora: Ester Buffa
Editora: Casa Impressora de Almeria - São Paulo
E-mail para contato: ester@ufscar.br

Resumo do livro: Trata-se de um livro de poesias escrito por uma historiadora da educação.

 

 

 

 

 

 

 

Lápis, Agulhas e Amores: história de mulheres na contemporaneidade
Autores: José Gerardo Vasconcelos; Samara Mendes Araújo Silva; Cassandra Maria Bastos Franco e José Rogério Santana (Org.)
Editora: Edições UFC
Site da editora: www.editora.ufc.br
E-mail para contato: samara.mendes@ig.com.br

Resumo do livro: a coletânea LÁPIS, AGULHAS E AMORES: história de mulheres na contemporaneidade, escrutinando o cotidiano feminino se propõe a visualizar social e historicamente a presença e ações de mulheres no processo de constituição de nossa sociedade.

Assim utilizando-nos do LÁPIS – que oportuniza registrar tantos e tantos acontecimentos histórico-culturais, contudo gera registros frágeis (fisicamente), passíveis ao apagamento capitaneado pela passagem dos tempos e pelo anuviamento das memórias individuais – discutimos o processo de escolarização feminina no Brasil e a escrita produzida pelas mulheres durante o século XX.

E, mostramos que os últimos tempos têm sido de redefinição de papéis sociais (tanto feminino, quanto masculino, sem excluir a figura das crianças, dos idosos, e de tantos outros grupos sociais que passam a ser vistos historicamente) e de reconfiguração das sociedades tradicionais em busca de novas oportunidades e formas igualitárias de participação social dos diferentes sujeitos; e, neste processo, instrução escolar formal têm se portado, por vezes, como espaço privilegiado e motivador de questionamentos e transformações da realidade contemporânea, em outras é o espaço de reprodução e conformação social.

Por isto com as AGULHAS deixamos expostas as novas oportunidades tecidas pelas mulheres, que pontuando a realidade a partir de suas necessidades imediatas de sobrevivência material e cultural engendraram ações e atitudes cuja implicação histórica e social foram conquistas individuais e coletivas as quais transformaram suas realidades e geraram  a superação de preconceitos  e limites sociais.

Revelamos, ainda, que as mulheres amam e odeiam e os seus AMORES podem ser tão intensos, se revelando multifacetados (uma forma de amar em muitas e vice-versa). Seja como for os sentimentos marcam o corpo e a alma femininos na contemporaneidade e são indispensáveis na constituição das subjetividades destes sujeitos. Mulheres amam cotidianamente e reinventam, conforme o parceiro e/ou o espaço em que se desenrola esta sensação. Em virtude disto, nos últimos séculos as mulheres resignificaram os vínculos amorosos, reeditaram as práticas de prostituição, outras se negligenciam em função do ser amado, ou, então, de tão marcantes os sentimentos as levam ao crime passional, seja como vítimas ou agressoras.

Pretendemos com esta leitura proporcionar a compreensão de que “ser mulher” é uma construção histórica marcada e definida pela ação (coordenada ou não, intencional ou não) de sujeitos inscritos e subsistindo em tempos históricos e espaços específicos que carecem do uso de AGULHAS para tessitura do cotidiano, do LÁPIS para ser registrado e conseqüentemente analisado, e de AMORES motivadores do envolvimento físico e emocional.

 

 

 

 

Manual para os Jardins de Infância ligeira compilação pelo Dr. Menezes Vieira (1882).
Autora: Maria Helena Camara Bastos
Editora: Redes Editora
Site da editora: www.redeseditora.com.br
E-mail para contato: mhbastos@pucrs.br

Resumo do livro: a obra disponibiliza ao público o primeiro manual destinado aos professores dos jardins de infância publicado no Brasil, pelo médico Dr. Joaquim José de Menezes Vieira, que juntamente com sua esposa, Dona Carlota, instala em 1875 um no Colégio Menezes Vieira (1875-1887). O livro foi localizado, em 2000, no acervo da Biblioteca Ferdinan Buisson, do Institut National de Receherche  Pédagogique (INRPFrança).

Também traz quatro capítulos que ajudam os leitores a contextualizar a contribuição do Dr. Menezes Vieira para a divulgação dos jardins de infância no Brasil, na segunda metade do século XIX. O capítulo 1 e o capítulo  3 foram originalmente publicados na obra “Pro Patria laboremus: Joaquim José de Menezes Vieira (1848-1897)” (BASTOS, 2002), mas foram revisados e atualizados. O capítulo 3 é inédito e analisa as contribuições de Marie Pape-Carpantier para a educação infantil, uma referência importante para Dr. Menezes Vieira. O capítulo 4 transcreve a biografia de José Joaquim de Menezes Vieira, escrita por Antonio d’Ávila, em 1944, localizada depois de concluída a pesquisa.

 

 

 

 

Marxismo, educação e luta de classes: pressupostos ontológicos e desdobramentos ídeo-políticos
Autores: Susana Jimenez; Jackline Rabelo e Maria das Dores Mendes Segundo (Org.)
Editora: EdUECE
Site da editora: www.uece.br/uece/index.php/editora-da-uece
E-mail para contato: mendesegundo@uol.com.br

Resumo do livro: a coletânea Marxismo, educação e luta de classes: pressupostos ontológicos e desdobramentos ídeo-políticos vincula-se, primordialmente, ao Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário (IMO), da Universidade Estadual do Ceará, o qual, por sua vez, encontra--se articulado ao Curso de Mestrado Acadêmico em Educação (CMAE) da mesma Universidade; à Linha Marxismo, Educação e Luta de Classes do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará (E-Luta/UFC); alcançando, ainda, o Grupo de Estudos e Pesquisas em Trabalho, Educação e Ontologia Marxiana, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Alagoas (UFAL); e o Grupo Marxismo e Educação, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Sob esse espectro, reúne um conjunto de artigos provenientes das produções de investigadores associados aos supracitados grupos e programas, ao lado de contribuições advindas de pesquisadores marxistas de diferentes áreas do conhecimento, de reconhecida notoriedade local e nacional. Organizada em duas partes, a saber, a educação para a sustentabilidade do capitalismo contemporâneo; e os fundamentos onto-históricos e problemas teórico-práticos do trabalho, distancia-se sobremodo, das produções acadêmicas alinhadas aos paradigmas dominantes no campo educacional e político-sindical, insistindo na centralidade ontológica do trabalho e efetuando a crítica ao projeto do capital para a educação em todo o mundo e, mais particularmente, para o Brasil

 

 

 

 

Reformas Educacionais
Autores: Maria Elisabeth Blanck Miguel, Diana Gonçalves Vidal, José Carlos Souza Araujo (Org.)
Editora: Editora Autores Associados Ltda
Site da editora: www.autoresassociados.com.br
E-mail para contato: editora@autoresassociados.com.br

Resumo do livro: durante os trabalhos do V Congresso Brasileiro de História da Educação, realizado em Aracaju em novembro de 2008, nós, os organizadores da presente obra, discutimos a necessidade de trazer a público um livro que coligisse os estudos efetuados nos vários estados brasileiros sobre as reformas educativas vazadas nos princípios da Escola Nova. Instigava-nos a constatação de que, a despeito de ser tema bastante frequentado no campo, não houvesse nenhuma publicação que reunisse as investigações conduzidas esparsamente no nosso território.

O objetivo que perseguíamos era oferecer aos professores e alunos dos cursos de história da educação, e aos pesquisadores iniciantes, o acesso a análises que problematizassem as várias maneiras como a Escola Nova foi compreendida por políticos e educadores e os diversos modos como seus princípios foram traduzidos em legislação e práticas escolares. [...]

A concretização desse sonho levou-nos a um projeto ambicioso. O livro que ora apresentamos envolve 27 pesquisadores, responsáveis por 23 capítulos que abordam 21 reformas educativas e dois inquéritos sobre educação, acontecidos nas décadas de 1920 a 1940. [...] Cada autor teve liberdade de estruturar sua escrita e selecionar os tópicos a privilegiar. [...]

Em complemento às análises aqui reunidas, incluímos, como Apêndice, o texto integral do Manifesto dos Pioneiros, antecedido de uma breve apresentação. Remissões a essa carta-monumento/memória apareceram em diversos dos capítulos do livro [...].

A publicação deste livro [visa] ainda [...] permitir que sua leitura indicie os modos como a pesquisa em história da educação vem percebendo os anos de 1920 a 1940, vislumbrando homogeneidade e descontinuidade nos projetos de reforma, visitando a composição de redes de solidariedade, descortinando tensões, enfim, construindo inteligibilidades para o passado da escola pública no Brasil”.

 

 

 

 

Educação em Diálogo
Autor: Dermeval Saviani
Editora: Editora Autores Associados
Site da editora: www.autoresassociados.com.br
E-mail para contato: editora@autoresassociados.com.br

Resumo do livro: as entrevistas reunidas neste livro compõem um extenso painel. Sobre o pano de fundo de questões de amplo alcance como a relação entre educação e modo de produção, a formação integral do ser humano, concepções e inovações pedagógicas, educação e transformação social, são tratadas questões de grande atualidade. Com efeito, a maior parte das entrevistas versa sobre os problemas atuais da educação brasileira, enfocando, especialmente, as iniciativas no âmbito da política educacional, cujos acertos e equívocos são submetidos à análise e avaliação crítica. Nesse contexto, a LDB, o PNE, o FUNDEB, o PDE, o ENEM, o PROUNI, o FIES, o REUNI, a CONAE, o projeto do novo PNE, as Diretrizes Curriculares do Curso de Pedagogia, a relação entre educação e informática, pedagogia universitária, analfabetismo no Brasil são abordados de forma crítica e objetiva. Diante dos mais variados e cruciais problemas que vêm afetando a educação brasileira, o autor posiciona-se e não se furta a apresentar soluções. Dessa forma contribui para fazer avançar o debate e, principalmente, para reorganizar o ensino em todos os níveis na forma de um sistema nacional com alto padrão de qualidade em sintonia com as expectativas acalentadas pela população brasileira. Com esta obra, a Editora Autores Associados coloca à disposição dos leitores, de modo geral, um valioso instrumento que traz importantes esclarecimentos sobre os candentes problemas da educação brasileira atual. Especificamente os professores passam a contar com subsídios suscetíveis de enriquecer seu trabalho nas várias disciplinas que integram os currículos dos cursos de formação docente.

 

 

 

 

Revista Educação em Foco: Nação e Cidadania: Abordagens em História da Educação na América Latina
Autores: Marlos Bessa Mendes da Rocha, Adrián Ascolani, Alicia Civera, Irlen Antonio Gonçalves, Jorge Conde Calderón ,Luis Alarcón Meneses, Miriam Waidenfeld Chave, Sonia de Castro Lopes, Terezinha Oliveira, Claudinei Magno Magre Mendes
Editora: Editora UFJF
Site da editora: www.editora.ufjf.br
E-mail para contato: marlos.bessa@ufjf.edu.br

Resumo do livro: a revista que apresentamos buscou a colaboração de pesquisadores nacionais e de colegas latino-americanos, com o propósito de oferecer um corpo de trabalhos que permita ao leitor realizar um exercício comparativo acerca das temporalidades, estratégias e modalidades que caracterizaram a intervenção dos estados nacionais, no seu papel de construtores de instituições e identidades coletivas. As problemáticas da constituição, imaginária e real das nações, da instauração e das tensões em torno aos limites de cidadania, e das funções sociais cumpridas pela educação escolarizada, através de instituições universalistas e de outras com destinatários específicos, são os eixos principais que articulam este volume. Uma dimensão metodológica comum dos artigos incluídos é a abordagem da   história da educação não como uma sub-história, subordinada a uma história mais geral (Política? Econômica?) que lhe daria as determinações fundamentais; ao contrário, trata-se de compreender a história da educação, a semelhança de qualquer outra análise histórica, possuidora sempre de um recorte específico, como uma seleção temática que em si mesmo traduz dimensões totalizantes da história do país em que se insere a pesquisa. Portanto, a história da educação não é devedora de outras histórias, mas contribuição específica que no trato do seu tema acrescenta elementos inusitados a uma historiografia da nação. Os artigos referidos aos países latino-americanos, Colômbia, México e Argentina, analizam a relação entre cidadania e educação, focalizando sua atenção em casos particulares significativos para a história de cada um desses países. Através desses casos, os autores desenvolvem aspectos relevantes em torno da problemática da cidadania: os dispositivos, as práticas e os conflitos. Enfim, como se disse no início, o recorte da história da educação possibilita ao historiador um conjunto de novos temas que contribuem para a inteligibilidade da história da nação.

 

 

 

 

Pedagogia Histórico-Crítica 30 anos
Autora: Ana Carolina Galvão Marsiglia  (Org.)
Editora: Editora Autores Associados
Site da editora: editora@autoresassociados.com.br
E-mail para contato: www.autoresassociaodos.com.br

Resumo do livro: esta é uma compilação dos textos apresentados no Seminário “Pedagogia histórico-crítica: 30 anos”, ocorrido em 2009, promovido pelo grupo de pesquisa “Estudos Marxistas em Educação”. Os artigos aqui reunidos tratam da necessária crítica às pedagogias do “aprender a aprender”, fundamentos da pedagogia histórico-crítica (abarcando a filosofia, psicologia e especificidades da educação escolar – como a educação infantil e educação especial), culminando com uma reflexão do Professor Dermeval Saviani sobre as contribuições do Seminário para o desenvolvimento da pedagogia histórico-crítica. Este livro é destinado a alunos de graduação e pós-graduação em educação, professores dos diferentes segmentos educacionais e interessados em geral em aproximar-se das discussões marxistas no campo da educação.

 

 

 

 

A implantação oficial da pedagogia histórico-crítica na rede pública do estado do Paraná (1983-1994)
Autora: Alexandra Vanessa de Moura Baczinski
Editora: Editora Autores Associados Ltda
Site da editora: www.autoresassociados.com.br
E-mail para contato: editora@autoresassociados.com.br

Resumo do livro: o Paraná é, com certeza, o estado em que a pedagogia histórico-crítica teve maior penetração registrando, inclusive, diversas tentativas de introduzi-la em suas escolas públicas. Isso ocorreu desde a posse, em 1983, do primeiro governador eleito por meio do voto direto em 1982, quando ainda o país se encontrava sob a vigência da ditadura militar.

Desde aquela época até os dias de hoje, além da iniciativa relativa à rede estadual, diversos municípios caminharam na mesma direção buscando adotar a orientação da pedagogia histórico-crítica em suas redes de ensino.

Explorando as fontes primárias representadas pelas diretrizes de governo das três gestões do PMDB e pelos documentos da Secretaria de Educação do estado do Paraná produzidos entre 1982 e 1992 e apoiada nas fontes secundárias caracterizadas pelos estudos anteriores ligados direta ou indiretamente ao tema pesquisado, Alexandra realizou sua investigação cujos resultados foram consubstanciados no texto da dissertação estruturado em três capítulos.

Este livro é, pois, muito bem-vindo. Esclarecendo as condições em que se deu a tentativa de implantação da pedagogia histórico-crítica no Paraná entre 1983 e 1994, projeta uma luz sobre os processos de articulação da educação com os interesses e necessidades da maioria da população que é representada pela classe trabalhadora. E essa é uma questão que se encontra, mais do que nunca, na ordem do dia na fase atual de resistência às políticas neoliberais e de encaminhamento de formas superadoras que coloquem a educação em consonância com a transformação estrutural da sociedade brasileira que é, ainda que não se tenha consciência clara disso, a aspiração da grande maioria do povo de nosso país.

 

 

 

 

História, Educação e Transformação: Tendências e perspectivas para a educação pública no Brasil
Autora: José Claudinei Lombardi, Dermeval Saviani (Org.)
Editora: Editora Autores Associados Ltda
Site da editora: www.autoresassociados.com.br
E-mail para contato: editora@autoresassociados.com.br

Resumo do livro:  “Neste ano de 2011, o Grupo de Estudos e Pesquisas “História, Sociedade e Educação no Brasil” (HISTEDBR) completa 25 anos de atividades ininterruptas e 20 anos desde sua institucionalização junto à Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em 1991, ano em que teve início a realização dos seminários nacionais que atingiu, em 2009, sua oitava edição.

De fato, ao ser institucionalizado em 1991, o Grupo adquiriu caráter nacional, pois aglutinou, já nesse ano, 15 Grupos de Pesquisa em 13 estados brasileiros, número que, apesar de algumas oscilações, tendeu a se ampliar, atingindo, atualmente, 35 Grupos de Trabalho em 19 estados, incluído o Distrito Federal.

É exatamente das contribuições apresentadas nas conferências de abertura e de encerramento e nas mesas-redondas do VIII Seminário Nacional do HISTEDBR que se constitui o presente livro. Esse seminário foi realizado no Centro de Convenções e na Faculdade de Educação da UNICAMP, entre os dias 30 de junho e 3 de julho de 2009, tendo como tema central “História, educação e transformação: tendências e perspectivas para a educação pública no Brasil”, enunciado que, consequentemente, dá título a esta obra. [...]

Com este livro, lançado pela Editora Autores Associados em parceria com o HISTEDBR, temos a satisfação de socializar os textos das nove conferências proferidas durante a realização do VIII Seminário Nacional de nosso Grupo de Pesquisa.

Estamos certos de que, como os livros resultantes dos seminários anteriores, também esta obra terá uma boa acolhida pela relevância e atualidade dos temas tratados, o que a converterá num valioso instrumento auxiliar na realização do trabalho docente nas diferentes disciplinas que compõem os currículos dos cursos de pedagogia e licenciatura”.

 

 

 

 

A Pratica pedagógica histórico-crítica: na educação infantil e ensino fundamental
Autora: Ana Carolina Galvão Marsiglia
Editora: Editora Autores Associados Ltda
Site da editora: www.autoresassociados.com.br
E-mail para contato: editora@autoresassociados.com.br

Resumo do livro: este livro pretende colaborar com o avanço da perspectiva teórica histórico-crítica. Longe de esgotar o tema, a intenção é contribuir com a reflexão sobre práticas pedagógicas fundamentadas neste referencial, apresentando trabalhos desenvolvidos na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental. Ao divulgar tais práticas, espera-se que elas possam ser discutidas, analisadas, ampliadas e assim participar do movimento de consolidação da pedagogia histórico-crítica, que, comprometida com classe trabalhadora busca oferecer referencial de educação de qualidade àqueles que têm tido esse direito negado.

 

 

 

 

Religiosidade e Educação na História
Autora: Terezinha Oliveira
Editora: EDUEM-Editora da UEM-PR
Site da editora: www.eduem.br
E-mail para contato: teleoliv@gmail.com

Resumo do livro: a coletânea que temos a satisfação de tornar pública, intitulada Religiosidade e Educação na História, tem como objetivo trazer à lume reflexões sobre a estreita relação existente entre as ações humanas, os preceitos educativos e as práticas religiosas, em diferentes tempos históricos. Entendemos que a religiosidade aparece já no momento em que se têm registros de ações humanas, seja na forma de monumentos de preservação da memória, seja na forma de escritos, de sociedades ou comunidades, pois ambos nos revelam a história. As criações míticas da Antiguidade, por exemplo, já nos revelavam a imbricada vinculação entre os homens e sua religiosidade. A presença constante da doutrina cristã entre os medievos que em determinados momentos torna-se, inclusive força de estado, define, sob muitos aspectos a essência das relações sociais. Como não deixar de mencionar, também, o fenômeno da religiosidade nos dias atuais, nos quais a religiosidade ocupa espaço constante e permanente, nos atos sociais e individuais. Essas representações espelham, a nosso ver, o papel específico da religião na vida dos homens, especialmente no âmbito da educação. Desse modo, como entendemos a religiosidade como parte da história e da história da educação, tivemos a preocupação de reunir, nesta obra, reflexões de estudiosos da temática de diferentes instituições de Ensino Superior do país. O intento de cada um dos textos que compõem a obra é colocar na ordem do dia uma questão candente no âmbito do conhecimento e do ensino da história e da história da educação: trata-se da influência e da importância da religiosidade na construção das relações sociais.

 

 

 

 

Leituras e Imagens da Idade Média
Autoras: Terezinha Oliveira e Angelita Marques Visalle
Editora: EDUEM-Editora da UEM-PR
Site da editora: www.eduem.br
E-mail para contato: teleoliv@gmail.com

Resumo do livro: a coletânea intitulada Leituras e Imagens na Idade Média traz a público nove (9) textos que apresentam estudos acerca do período medieval. O (a) leitor (a) encontrará três (3) textos que analisam a figura feminina no imaginário, na literatura, nas imagens e em documentos textuais; dois (2) textos que refletem sobre escritos do mestre Tomás de Aquino; dois (2) capítulos que investigam as relações de poder por meio das crônicas e dois (2) textos que apresentam a imagem como fonte para o estudo de temas medievais.

Os textos que compõem a obra versam sobre questões que perpassam o medievo ocidental entre os séculos IX ao XVI. Além dos temas gerais que apontamos, o (a) leitor(a), deparar-se-á, em cada capítulo, com uma série de questões que tangenciam o ensino, a religiosidade, a castidade, a filosofia, a arte, a figura do feminino, o romance, leis, dentre outros aspectos. Acreditamos, assim, que os temas apresentados na Coletânea, indubitavelmente, contribuirão para a construção de novos olhares sobre este período da história. Além disso, possibilitarão outros estudos, especialmente nos campos da História da Educação, da História, da Filosofia, da Literatura, da Arte, pois, há uma riqueza de interpretações e de fontes de pesquisa na obra. Convidamos, por fim, os leitores a conhecerem os textos porque eles expõem pesquisas de estudiosos sobre o período medieval de diferentes instituições do país.

 

 

 

 

História do ensino de engenharia no Espírito Santo: da Escola Poltécnica ao Centro Tecnológico da UFES
Autores: Circe Mary Silva da Silva e João Eudes Rodrigues Pinheiro
Editora: EDUFES
Site da editora: www.secretariadecultura.ufes.br/editora_catalogo.php?id_menu=47
E-mail para contato: cmdynnikov@gmail.com

Resumo do livro: o texto apresenta o processo histórico do ensino de engenharia no Espírito Santo, que teve início com a construção da escola Politécnica em 1951  até a criação do Centro Tecnológico da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em 1971, e sua importância para o desenvolvimento econômico do estado. A pesquisa baseou-se principalmente em fontes documentais localizadas no acervo do Centro Tecnológico, Arquivo Público Estadual e na História Oral. Nos trinta depoimentos colhidos é recorrente a idéia de que o engenheiro competente é o que não apenas está preparado para o desempenho de sua funções específicas, mas o que assume o papel de agente do desenvolvimento científico e tecnológico da sociedade no qual está inserido. A narrativa contempla um detalhamento sobre o ensino de graduação, pós-graduação e pesquisa em engenharia na instituição, sob o olhar daqueles que estão construindo essa história, incluindo a participação das mulheres. Conhecer a história dos cursos de formação de engenheiros nos leva a compreender melhor a atual educação tecnológica. Como a realidade científica e tecnológica mundial é muito dinâmica e isso repercute na estruturação do currículo de formação do engenheiro, ele precisa estar constantemente sendo repensado em função das demandas oriundas do próprio processo de desenvolvimento da sociedade como um todo.

 

 

 

 

Histórias de meninas. Meninas de Sinhá
Autora: Ana Maria de Oliveira Galvão
Coautoras: Eliane Marta S. Teixeira Lopes, Mônica Yumi Jinzenji, Kelly Aparecidai de Sousa Queiroz, Simone Alves da Silva
Editora: DUO Editorial
Site da editora: www.duoeditorial.com.br
E-mail para contato: monicayj@ufmg.br

Resumo do livro: a origem deste livro se encontra em uma pesquisa realizada, no período de agosto de 2007 a dezembro de 2009, por uma equipe da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. O desafio que se colocava para o grupo de pesquisadoras era compreender que espaços de socialização foram mais significativos, ao longo das trajetórias de vida (principalmente na infância) das 33 integrantes do grupo Meninas de Sinhá, residentes no Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte. São mulheres que se encontram na meia idade e na terceira idade, e há mais de dez anos realizam apresentações musicais que incluem cantigas de roda e composições próprias. Muitas delas não freqüentaram a escola e, se na atualidade, a relação entre socialização, formação e instituição escolar parece óbvia e direta, certamente não o foi para essas mulheres – de meios populares, moradoras da periferia de uma grande cidade, afrodescendentes e em muitos casos originárias de comunidades rurais.

Durante as conversas e entrevistas, várias Meninas afirmaram que tinham o “sonho” de terem suas histórias registradas em formato de livro. Gostariam de ver suas “vidas de meninas” pobres, comuns, “da roça”, contadas em livro para que elas pudessem mostrar, principalmente a seus filhos, netos e bisnetos, de onde se originaram e como se tornaram Meninas de Sinhá. O livro, ao registrar histórias de infância que tradicionalmente somente circulam na oralidade, certamente contribuirá para a preservação da memória do nosso patrimônio imaterial e dará visibilidade para a importância de processos e instâncias de formação cultural não escolares nas trajetórias de vida de sujeitos que, em sua origem, foram, de modo geral, afastados do mundo da leitura e da escrita.

A publicação do livro contou com o patrocínio do Fundo Estadual de Cultura de Minas Gerais e com o apoio da FAPEMIG e CNPq. O livro não será comercializado e será distribuído para as bibliotecas de universidades públicas, bibliotecas comunitárias, ONGs e grupos de pesquisa.

 

 

 

 

Modelos Culturais, Saberes Pedagógicos, Instituições Educacionais: Portugal e Brasil, histórias conectadas
Autor(es): Marta Maria Chagas de Carvalho e Joaquim Pintassilgo
Editora: EDUSP - Editora da Universidade de São Paulo
Site da editora: www.edusp.com.br
E-mail para contato: edusp.divulga@gmail.com

Resumo do livro: os textos deste livro são resultado de programa de cooperação científica Capes/Grices, sediado na Universidade de São Paulo e na Universidade de Lisboa. Eles têm em comum o interesse por questões relativas a modelos culturais, à circulação internacional e a modalidades diferenciadas de apropriação local deles. Os autores analisam temas como as rotas internacionais de circulação e os veículos que as promovem; examinam as apropriações locais de modelos de larga circulação internacional, como é o caso da pedagogia moderna e da pedagogia da nova escola; ou se ocupam dos dispositivos de produção e reprodução do modelo escolar. São também estudadas as instituições educacionais que apresentam  dimensões diversas do modelo escolar que se globaliza com a modernidade e representações da escola construídas segundo a perspectiva  do inspetor,   dos registros administrativos ou de memórias da imigração.

 

 

 

 

Impresso no Brasil: dois séculos de livros brasileiros
Autores: Anibal Bragança e Marcia Abreu
Coautora: Isabel Frade
Editora: Editora Unesp
Site da editora: www.editoraunesp.com.br
E-mail para contato: simone.oliveira@editora.unesp.br

Resumo do livro: em Impresso no Brasil está compilada uma variedade de ensaios e artigos que abarcam a história da produção editorial no país por mais de dois séculos. A obra, por meio de múltiplas visões, procura traçar um panorama da trajetória deste importante elemento de construção da cultura nacional.

São detalhados, através dos textos, os entraves, conquistas e projeções da produção de publicações no Brasil. Com introdução escrita por José Mindlin, um dos maiores colecionadores de produtos impressos do país, este se configura como um volume completo para todos aqueles que estudam, trabalham e se relacionam com os livros.

 

 

 

 

O Ensino Primário no Rio Grande do Norte: memória, educadores e lições sobre o ensinar (1939-1969)
Autora: Maria Antônia Teixeira da Costa
Editora:UERN/FAPERN
Site da editora: www.uern.br
E-mail para contato: toniatc@terra.com.br

Resumo do livro: a obra, resultado do doutoramento da autora, defendida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte,  objetiva responder que lições professoras primárias têm a revelar acerca do aprender, ensinar e ser professora. Como era organizado o ensino primário do Rio Grande do Norte nos anos de 1939-1969? Quais eram os seus objetivos? Que conteúdos eram ministrados? Que metodologias eram aplicadas? Como era a relação entre professor e aluno? Estas perguntas são respondidas no I capítulo, o qual foi elaborado basicamente a partir de fontes primárias, localizadas em arquivos do Rio Grande do Norte, além de matérias no Jornal A República. Reflete sobre essa organização tomando como referências teóricas, obras de educadores, clássicos mais representativos do cenário pedagógico local como: Antônio Gomes da Rocha Fagundes, Clementino Hermógenes da Câmara, Francisca Nolasco Fernandes. Enfatiza no II capítulo que o exercício da docência de professores do Rio Grande do Norte nos anos de 1939 a 1969 foi referendado por estes educadores acima citados. No III Capítulo, analisa as imagens públicas de professores veiculadas no Jornal A República e Diário de Natal, expressas nas matérias publicadas nos dias 14, 15, e 16 dos meses de outubro de 1930 aos anos de 1969. Clarifica o passado do trabalho docente das professoras no IV capítulo desta obra, o que se constitui como uma das tarefas imprescindíveis para a profissionalização do magistério. E assim, socializa no V Capítulo as lições que as professoras revelaram sobre o ensinar, o aprender e o ser. O VI Capítulo e último capítulo investiga a administração escolar no Rio Grande do Norte, no governo de José Augusto Varela (1947-1951). A contribuição maior deste trabalho é a sistematização e formalização do trabalho de professoras do antigo primário do Rio Grande do Norte recuperando lições sobre o ensinar, o aprender e o ser professora.

 

 

 

 

Dos Espaços de Leitura à Biblioteca Municipal de Jaraguá do Sul - discursos e percursos (1937-1983)
Autora: Gisela Eggert-Steindel
Editora: Insular
Site da editora: www.insular.com.br
E-mail para contato: f9giza@gmail.com

Resumo do livro: o livro é um estudo acerca da conformação da Biblioteca Municipal Rui Barbosa, iniciada na década 1940 do século XX no município de Jaraguá do Sul, localizado ao Nordeste do estado de Santa Catarina. A pesquisa se fundamentou na História Cultural e se enquadra em uma das novas correntes historiográficas desta abordagem, a micro - história. A constituição da Biblioteca Pública Municipal Rui Barbosa, juridicamente legal e real de fato depreendeu de indivíduos de uma comunidade, que iniciou e/ou perseverou por meio de diferentes e diversas estratégias e táticas com vistas a manter a sensibilidade as práticas da leitura através desta base institucional de leitura nesse lugar.

 

 

 

 

Ciência, Educação e Livros Didáticos do Século XIX: os compêndios das ciências naturais do Colégio de Pedro II
Autor: Karl Lorenz
Editora: Editora da Universidade Federal de Uberlândia
Site da editora: http://www.edufu.ufu.br/
E-mail para contato: degatti@ufu.br

Resumo do livro: "Ciência, Educação e Livros Didáticos do Século XIX. Os compêndios das Ciências Naturais do Colégio Pedro II” apresenta um panorama do ensino de Ciências no Brasil no século XIX, por meio da análise de livros didáticos utilizados no ensino secundário. Toma como referência os compêndios adotados no Colégio de Pedro II, por ser esta a instituição modelo para o ensino secundário público oitocentista no Brasil. Para melhor compreender o significado destas obras, que foram identificadas em programas de ensino que correspondem às reformas educacionais efetuadas pelo Governo Central de 1838 a 1898, o autor insere seu trabalho em uma discussão maior sobre o desenvolvimento histórico das Ciências Naturais e do ensino das Ciências no Colégio e nos liceus franceses. Faz uma análise, também, dos compêndios disponíveis no Brasil e no exterior à época. O conteúdo desse livro interessa, sobretudo, aos professores e pesquisadores em História da Educação no país e no exterior, especialmente para aqueles que estudam a evolução das Ciências e do ensino das Ciências no Brasil.

 

 

 

 

O Ensino de História da Educação em Perspectiva Internacional
Autor(es):  Décio Gatti Júnior, Carlos Monarcha e Maria Helena Camara Bastos (Org.)
Editora: Editora da Universidade Federal de Uberlândia
Site da editora: www.edufu.ufu.br
E-mail  para contato: degatti@ufu.br

Resumo do livro: em "O Ensino de História da Educação em Perspectiva Internacional" estão reunidos nove estudos de pesquisadores brasileiros e estrangeiros na temática da História do Ensino de História da Educação. Os trabalhos dos autores brasileiros decorrem da comunicação coordenada levada a cabo no V Congresso Brasileira de História da Educação, realizado em Aracaju, Sergipe, em 2008. Também integram a coletânea pesquisadores da Argentina, da Espanha, dos Estados Unidos e de Portugal que comumente travam contato com a comunidade de pesquisadores da área no Brasil. Esses estudos interessam, sobretudo, aos professores e pesquisadores em História da Educação, no Brasil e no exterior, mas também aos estudiosos das ciências humanas de modo mais amplo.

 

 

 

 

Cadernos de História da Educação – v. 9, n. 2 – Jul./Dez. 2010
Autor(es): Diversos
Editora: Editora da Universidade Federal de Uberlândia
Site da editora: www.edufu.ufu.br
Seu e-mail: degatti@ufu.br

Resumo do livro:  este é o segundo número do nono volume dos “Cadernos de História da Educação”, o que consolida a nova periodicidade do periódico que passou de anual para semestral em 2009. Se no número publicado anteriormente pôde-se anunciar o alcance da classificação “A2” no âmbito do Qualis/CAPES. Para o presente número, pode-se comunicar o resultado positivo alcançado junto à Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais que financiará a publicação da revista neste e no próximo ano. Neste número estão publicados dezesseis artigos e duas resenhas, em um total de vinte e quatro autores de diferentes instituições brasileiras e estrangeiras. Destaque-se que estão publicadas nesse número duas importantes contribuições estrangeiras: a primeira sobre a rede cultural da escola de Decroly em Bruxelas, enviada pelos pesquisadores Angelo Van Gorp, Frank Simon e Marc Depaepe, sendo que os dois últimos são, em boa medida, os grandes responsáveis pela existência do The International Standing Conference for the History of Education, evento que desde sua primeira edição, em 1979, em Leuven, na Bélgica, tem congregado pesquisadores da área de História da Educação de todo mundo; a segunda, de autoria da pesquisadora Anabela Teixeira, expressa resultados alcançados em pesquisa desenvolvidas em importante centro de investigação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Neste número, 69% dos artigos foram redigidos por autores externos e 31% por autores que pertencem aos quadros de investigadores da Universidade Federal de Uberlândia, em especial, de pesquisadores vinculados ao Núcleo de Estudos e Pesquisas em História e Historiografia da Educação.

 

 

 

 

Perspectivas do Ensino de História: ensino, cidadania e consciência histórica
Autor(es): Selva Guimarães Fonseca; Décio Gatti Júnior (Org.)
Editora: Editora da Universidade Federal de Uberlândia (Apoio: FAPEMIG)
Site da editora: www.edufu.ufu.br
E-mail para contato: degatti@ufu.br

Resumo do livro: em Perspectivas do Ensino de História: ensino, cidadania e consciência histórica estão reunidos trinta e dois estudos de pesquisadores brasileiros e estrangeiros na temática geral do Ensino de História. Os trabalhos decorrem dos originariamente apresentados em conferência e sessões de mesa-redonda do VII Encontro Nacional Perspectivas do Ensino de História, realizado em Uberlândia, Minas Gerais, no período de 3 a 6 de novembro de 2009. Os textos que integram esse livro representam a pujança dos estudos e pesquisas na área de Ensino de História, interessando, sobretudo, aos professores e pesquisadores da área, no Brasil e no exterior, mas também aos estudiosos das ciências humanas de modo mais amplo.

 

 

 

 

Pesquisas em Teoria e História da Educação
Autor: José Luis Simões (org.)
Coautores: Geraldo Barroso Filho; Catarina da Silva Souza; Francisco Xavier dos Santos; Luciana Justino de Almeida Silva; Fabio Marques Bezerra; Fábio da Silva Paiva
Editora: Editora Universitária - UFPE
Site da editora: http://www.ufpe.br/edufpe/
E-mail para contato: lucianajdealmeida@gmail.com

Resumo do livro: esta obra é resultado do empenho de alguns pesquisadores do Núcleo de Teoria e Hsitória da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE. Os autores discutem algumas teses caras para o campo da pesquisa educacional.

Guiados pelo desafio de abordar novos temas no campo da História da Educação, os pesquisadores pretendem ampliar os limites da compreensão tradicional da Ciência, abrangendo estudos teóricos e empíricos relacionados a temáticas específicas da formação humana e aos diversos aspectos da História da Educação no Brasil.

Discutindo temas originais a partir de novas perspectivas de análise, cada autor se debruçou na reflexão de problemas conhecidos no campo da Teoria e História da Educação. Nesse sentido, este livro apresenta um precioso panorama de discussões acerca do desenvolvimento da Educação  no Brasil.

 

 

 

 

A construção da Memória Cívica: espetáculos de civilidade no Piauí - 1930-1945
Autor: Salânia Maria barbosa Melo
Editora: EDUFPI
Site da editora: www.ufpi.br/editora/index
E-mail: salaniamelo@yahoo.com.br

Resumo do livro: a pesquisa diz respeito à construção da memória cívica piauiense e à invenção das tradições, inserindo-a no campo da História da Educação e tem como foco principal as comemorações cívicas, que são as festas que acontecem com a participação da escola, desde as festas de 7 de setembro, festa da árvore, desfile da juventude e do pan-americanismo, as festas de inaugurações, festas de colação de grau, somando as homenagens às autoridades, aniversários de governantes, aniversários do Estado Novo  constituindo-se o calendário cívico, cumprido e organizado pela escola. Esta investigação tem como intuito analisar esta memória, destacando principalmente, os aspectos relevantes para compreendê-la, tais sejam: o tempo escolar, o disciplinamento, as disciplinas escolares e as festas cívicas, elementos que constituem a memória cívica, evidenciando, a cidade e a rua como palco dos eventos onde ocorriam as festas cívicas. Este caminhar faz-se metodologicamente pela História Oral pelas lembranças de pessoas com setenta ou mais anos que vivenciaram estes momentos e têm alguma relação com a escola e com a cidade e, ainda, no manejo das fontes escritas como os periódicos locais O Piauhy, O Momento, Diário Oficial, o Almanaque da Parnaíba e as Mensagens Governamentais. Mergulho nas práticas cotidianas e nas lembranças para problematizá-las e, por fim, compreender como ocorreu a invenção das tradições cívicas e suas relações com o ensino primário durante a Era Vargas (1930-1945), cientes de que nossa investigação constatou que este ensino deu-se no sentido do que era considerado moderno neste período, formando sujeitos que construíram as instituições pesquisadas, tornando-os civilizados, nacionalistas e amantes da Pátria.

 

 

 

 

Municipalização do Ensino no Estado de São Paulo: passado, presente e perspectivas
Autor: Silvio Cesar Nunes Militão
Editora: Paco Editorial
Site da editora: www.pacoeditorial.com.br
E-mail para contato: nmsilvio@ig.com.br

Resumo do livro: este livro, fruto de tese de doutorado defendida na UNESP, aborda um tema candente da política educacional brasileira: a municipalização do ensino. A ênfase recai sobre o Estado de São Paulo, caracterizado por uma predominante estadualização da etapa escolar obrigatória. Ancorado num cuidadoso levantamento bibliográfico e documental, o trabalho em tela colige os principais intentos de municipalização registrados no âmbito do território paulista. Sem descurar dos períodos anteriores, o livro detém-se na análise do intenso movimento de transferência de matrículas do ensino fundamental da rede estadual para as municipais verificado em São Paulo no tempo presente, sobretudo por força do advento do FUNDEF que, precedido pelas medidas adotadas pelo governo estadual, induziu fortemente à municipalização deste nível de ensino. Certamente este livro consistirá num importante subsidio para as novas pesquisas que serão desenvolvidas acerca da temática, sobretudo suscitadas pela recente substituição do FUNDEF pelo FUNDEB.

 

 

 

 

“Uma vez Normalista, sempre Normalista”: cultura escolar e produção de um habitus pedagógico (Escola Normal Catarinense – 1911-1925)
Autor: Gladys Mary Ghizoni Teive
Editora: Insular
Site da editora: www.insular.com.br
E-mail para contato: gladysteive@gmail.com

Resumo do livro: a obra, fruto da tese de doutoramento da autora, se propõe investigar como, através de uma rede de estratégias que ditaram o que era entendido como educação escolar válida e legítima no início do século XX, de como, através da mudança do sistema de ensino catarinense, mais especificamente da reforma curricular empreendida na Escola Normal Catarinense na década de 1910, foi construído um modo particular de agir e de pensar o processo de escolarização, um habitus pedagógico, entendido,nesta investigação, como a síntese do modo pelo qual a professora produz sentidos e formas de inteligibilidade acerca da educação escolarizada e, sobretudo, o modo como age objetivamente no cotidiano escolar. Foram privilegiados na investigação, além dos depoimentos de ex-normalistas, as fontes documentais referentes ao sistema de ensino catarinense do início do século XX, notadamente aquelas relacionadas à reforma curricular empreendida na Escola Normal Catarinense em 1911 pelo professor paulista Orestes Guimarães, contratado pelo governo do Estado de Santa Catarina para modernizar a instrução pública, adequando-a ao projeto modernizador brasileiro. Formadas e posteriormente exercendo o magistério sob os princípios da reforma, as professoras entrevistadas revelaram em seus depoimentos problemas escolares comuns e maneiras comuns de abordá-los, uma forma de pensar e de agir na situação de ensino escolarizado, cujos princípios unificadores e geradores constituem sinais inequívocos da nova cultura escolar que a citada reforma buscou engendrar. As memórias de suas práticas e representações acerca do ensino escolarizado nos permitem afirmar que elas, apesar de todas as vicissitudes, vestiram o novo habitus pedagógico como hábitos e estes as fizeram um tipo muito particular de professoras, em conformidade com os esquemas previamente engendrados.

 

 

 

 

Educação Infantil e Estudos da Infância na Amazônia
Autora: Laura Maria Silva Araújo Alves
Coautora: Sônia Maria da Silva Araújo
Editora: EDUFPA
Site da editora: http:www.ufpa.br/editora
E-mail para contato: laura_alves@uol.com.br

Resumo do livro: a obra "Educação Infantil e Estudos da Infância na Amazônia" resulta do esforço conjunto de investigadores paraenses sobre a realidade da Educação Infantil e Estudos sobre a infância na Amazônia. São autores de formação diversas, oriundos de vários campos de conhecimentos que desenvolveram suas pesquisas em diferentes contextos espaciais e com preocupações múltiplas sobre a educação e a infância.

O livro contempla uma diversidade de métodos e pluralidade de abordagens que suscitam discussões que vão desde a educação pública municipal de Belém, a um estudo da relação da música na educação infantil, passando ainda por estudos realizados sobre a narrativa de crianças em contexto escolar e hospitalar, a infância de crianças nas escolas de fazenda na Ilha do Marajó, entre outros mais polêmicos e chocantes como o abuso sexual de crianças na região norte.

A infância (in)visível na região norte para os pesquisadores na academia ainda não ocuparam a cena numa totalidade histórica que merece. Certamente os textos aqui reunidos não esgotam o fértil campo de investigação sobre educação infantil e a infância na Amazônia.

O mérito principal do livro é de trazer à tona questões tão complexas a respeito da história da infância na Amazônia permitindo ao leitor conhecer a situação da educação infantil no município de Belém e a drástica realidade da criança no Norte do país.

Todo livro tem a sua história, mas nem sempre ela é contada. A nossa é do desejo de contribuir, embora modestamente, com a produção de pesquisas sobre a infância na Amazônia.

Acreditamos que o compromisso de todos nós pesquisadores da Universidade Federal do Pará é de investimentos numa densa produção substantiva sobre a infância. Muito lentamente temos avançado, apesar da urgência que o tema merece. Esse é o nosso grande desafio.Portanto, a presente obra que temos a honra de apresentar é reflexo do compromisso com a criança da Amazônia. Acreditamos que esta publicação representa, sobretudo, uma tentativa de apontar caminhos para construção da  Infância na região amazônica.

 

 

 

 

 Intelectuais e Igreja Católica no Paraná (1926-1938)
Autor: Névio de Campos
Editora: UEPG
Site da editora: www.uepg.br/editora
E-mail para contato: nmestrado@ig.com.br

Resumo do livro:  esta obra analisa a trajetória, os debates e os projetos dos intelectuais       católicos sobre a temática educativa à luz do contexto paranaense, do período que está circunscrito entre 1926 e 1938, discutindo o processo de constituição do grupo, as suas interlocuções com as vertentes teóricas e filosóficas em geral, as suas ideias e intervenções culturais, bem como suas relações com o Estado e com os grupos políticos paranaenses desse período. Discorre sobre as contribuições do laicato católico ao projeto romanizador da Igreja Católica e enfatiza que o papel desse grupo foi criar instituições culturais no contexto paranaense, sem esquecer o contexto político-cultural do Brasil e da Europa como pano de fundo de criação do laicato católico.

 

 

 

 

Entre Trilhas e Veredas
Autora
: Julinete Vieira Castelo Branco 
Editora: Fundação Cultural Mons. Chaves 
Site da editora: www.fcmc.pi.gov.br
E-mail para contato: jvcb11@hotmail.com

Resumo do livro: este livro procura construir as histórias e memórias do Colégio Agrícola de Teresina, a partir da análise da sua trajetória, desde o momento de criação da instituição, em 1954, até a sua incorporação à UFPI, em 1976. Buscamos conhecer e analisar o discurso agrário presente na imprensa, acerca da criação do CAT nos anos 50 e, posteriormente, desvendar e entrecruzar as falas que se constituíram memórias dos ex-professores, alunos e funcionários da instituição neste recorte.

 

 

 

 

 

Memória Docente: Histórias de Professores Catarinenses (1890-1950)
Autoras: Vera Lucia Gaspar da Silva e Dilce Schüeroff (Org.)
Editora: UDESC Editora
Site da editora: www.udesc.br
E-mail para contato: vera.gaspar@floripa.com.br
 
Resumo do livro: o trabalho é um dos produtos da pesquisa "Memória Docente: História de professores catarinense (1890-1950) (UDESC) no qual se adotou como fonte principal o acervo de história oral do Museu da Escola Catarinense. O livro traz apresentação de Neide Fiori, um texto introdutório de autoria das organizadoras e um conjunto de entrevistas que registram parte da trajetória de educadores e educadoras, buscando revelar aspectos da formação e da atuação destes sujeitos. O trabalho contou com a colaboração de Gisela Eggert-Steindel e Luani de Liz Souza.

 

 

 

 

 

Álbum com Pequenos Trabalhos de Pedagogia. As normalistas da escola Normal do ceará e a pedagogia da Escola Nova (1923)
Autoras: Maria Helena Camara Bastos; Maria Juraci Maia Cavalcante
Editora: UNIFRA
Site da editora: www.editoraunifra.br
E-mail para contato: mhbastos@pucrs.br

Resumo do livro: durante 2008 e 2009, organizamos a coletânea O Curso de Lourenço Filho na Escola Normal do Ceará (1922-1923): As normalistas e a pedagogia da Escola Nova, publicada no final de 2009. A idéia desta coletânea teve origem em momentos diversos, que envolvem o curso do Lourenço Filho, a elaboração do “álbum” pelas alunas normalistas.  Há muitos anos, na casa de Lourenço Filho, Jorge Nagle entra em contato com o material e o fotografa, com intenção de publicá-lo. Passados outros tantos anos e desistindo da empreitada, repassa os rolos de filme para o professor Alberto Perotti, que procura Wagner Valente para levarem essa tarefa a bom termo. Na dificuldade em converter os filmes para material impresso, procedeu-se à busca da documentação original. O contato com Maria Juraci Maia Cavalcante foi imprescindível para a concretização desse projeto. Outros colegas se integraram com a finalidade de dar publicidade ao documento e analisar as “metodologias” desenvolvidas pelas alunas normalistas, que transcendem as aulas do professor Lourenço Filho, no que pode ser considerado o alvorecer de sua ação educativa e do movimento Escola Nova no Brasil.

A idéia original da coletânea previa anexo um CD com a digitalização do “Álbum com Pequenos Trabalhos de Pedagogia”, o que não foi possível naquele momento. Agora, disponibilizamos o original. Na digitalização do caderno optamos por atualizar a grafia, seguindo as regras da heurística historiográfica que autorizam essa prática. Além disso, para facilitar a sua leitura no momento atual por todos aqueles que se dedicam à educação, em formação ou como professores, e que podem depreender a historicidade das práticas educativas e escolares recomendadas para as primeiras séries do ensino fundamental.

 

 

 

 Estado, Igreja e Educação: o mundo ibero-americano nos séculos XIX e XX

 

Estado, Igreja e Educação: o mundo ibero-americano nos séculos XIX e XX
Autores: Carlos Henrique de Carvalho e Wenceslau Gonçalves Neto
Editora: Alínea
Site da editora: www.atomoealinea.com.br
E-mail para contato: carloshcarvalho06@yahoo.com.br
 
Resumo do livro: promover cruzamentos de olhares entre passado(s) e presente(s) foi o que nos motivou a organização deste livro, que trata da relação Estado, Igreja e Educação: o Mundo Ibero-Americano nos Séculos XIX e XX. Certamente seus objetivos são ambiciosos, pois buscam promover uma interrogação sobre o tempo e seus vestígios (materiais e imateriais, passados e presentes) inscritos na pluralidade de escalas e ambientes que habitam o tempo histórico. Tendo em vista esta perspectiva é intenção da obra estabelecer/constituir  um espaço de reflexão sobre as relações entre Estado e Igreja nos dois “mundos”, europeu e americano, ou seja, fazer aflorar informações e interpretações novas dos fenômenos históricos, em particular, daqueles relacionados às formas educativas, desenvolvidas nas suas inter-relações/implicações com o Estado, a sociedade e as instâncias religiosas. Objetiva-se também, debater o panorama histórico-educativo das diferentes experiências educacionais vivenciadas no contexto da Iberoamérica, no período demarcado pelos séculos XIX e XX, pois este momento é marcado por intensos embates entre a Igreja Católica e o Estado liberal que se consolidava na Europa e entrava no cenário político na América Latina, inspirador da educação moderna, entendida, de forma mais abrangente, como pública, gratuita e laica, bem como pelos questionamentos expressos pela Igreja sobre os novos princípios educacionais, delimitados pelo Estado a partir do novo marco regulatório (legislação) dos sistemas educativos. Para alcançar tal finalidade, reunimos historiadores de diferentes espaços do mundo ibero-americano que trabalham com os entrecruzamentos Igreja/Estado/Educação, os quais oferecem um olhar comparativo, que inclui as muitas realidades dos dois espaços. Em suma, busca-se a compreensão das aproximações/tensões entre essas duas instâncias na promoção da educação no interior da sociedade, bem como explicitar os interesses políticos, culturais, ideológicos, antropológicos e religiosos  que permearam suas intenções, conflitos e realizações no campo educacional. Para além destas questões teórico-metodológicas esta coletânea tem o propósito de possibilitar o estabelecimento de novos intercâmbios entre instituições e pesquisadores que estudam a História da Educação na América Latina e Península Ibérica e fomentar a discussão para a elaboração de instrumentos comuns de pesquisa, bem como do tratamento de fontes e delimitação de categorias, que possam ser utilizadas pelos investigadores que trabalham com  a temática do Estado e Igreja.

 

 

 

 Educação Escolar e Justiça Social

 

Educação Escolar e Justiça Social
Autoras: Ione Ribeiro Valle; Vera Lúcia Gaspar da Silva; Maria das Dores Daros (Org.)
Editora: NÚCLEO DE PUBLICAÇÕES - NUP/CED/UFSC/UDESC/FAPESC
Site da editora: http://www.perspectiva.ufsc.br/
E-mail para contato: marilandesmel@bol.com.br

Resumo do livro: o livro trata de temas que nutrem debates eloquentes sobre a educação escolar e justiça social. Temas que instigam pesquisadores e administradores das mais diversas áreas e em especial da educacional. Procura mostrar que a educação escolar, que figura no centro dos princípios da justiça social, deve fundamentar temas como direito, obrigatoriedade, laicidade, igualdade, compromisso, qualidade, livros didáticos, saberes escolares. Deve fundamentar igualmente em discussões de como educar jovens, adultos e pessoas com necessidades especiais; formar os diversos profissionais e os professores; efetuar mudanças no currículo e elaborar projetos pedagógicos; avaliar a aprendizagem e os sistemas educacionais; inserir as novas tecnologias de informação e comunicação dentre outras questões, que apontam para as possibilidades e os limites da educação escolar, mas que não desconsiderem o sonho de uma sociedade mais junta e de uma escolarização plena.

 

 

 

 

Infância e Literatura
Autora: Márcia Cabral da Silva
Editora: EdUERJ
Site da editora: www.eduerj.uerj.br
E-mail para contato: marciacs@ism.com.br
 
Resumo do livro: neste livro,a autora aborda concepções de infância, de linguagem e de literatura em diálogo com autores destacados no campo teórico, como Walter Benjamin e Mikhail Bakhtin. Apresenta, também, análise criteriosa de uma coleção de livros voltados para crianças em sua primeiras experiências com a literatura.

 

 

 

 

A universidade iluminista: de Kant a Bologna (1798-2009)
 
Autor: José Carlos Souza Araujo (org.)
 
Editora: Editora Liber Livro
 
Site da editora: www.liberlivro.com.br
E-mail para contato: jcaraujo@ufu.br
 
Resumo do livro: os vinte capítulos, reunidos em dois volumes, objetivam focalizar o contexto filosófico e histórico-cultural, em que são escritas ou publicadas as diferentes obras aqui analisadas (de Kant, Schelling, Fichte, Schleiermacher, Hegel, Humboldt, Newman, Nietzsche, Weber, Scheler, Whitehead, Ortega y Gasset, Gramsci, Heidegger, Jaspers, Hutchins, Gusdorf, Lyotard, Habermas, Derrida e o Processo de Bolonha) , bem como a trajetória biográfica e teórico-filosófica do pensador, tendo em vista explicitar sua visão de mundo. Ressalte-se também que os diferentes capítulos aqui reunidos não procuram desconhecer ou isolar-se de outras obras de cada um dos autores aqui privilegiados, uma vez que contribuem, inclusive, para a constituição empírica e analítica das diferentes concepções de universidade expressas pelos conteúdos dos vinte capítulos.Trata-se de uma coletânea destinada a orientar estudos e pesquisas de alunos de graduação e de pós-graduação, bem como de professores da educação superior, universitária ou não. Num momento em que a pedagogia na educação superior (também conhecida pela restritiva locução, pedagogia universitária) vem se tornando um eixo organizador de conferências, publicações em livros e em revistas, on line ou não, de congressos especificamente dedicados à temática ou à docência na educação superior, ela se faz oportuna, ainda que seja uma tênue iluminação em torno das tensas e dinâmicas relações entre a universidade e a sociedade, ou melhor, entre a educação superior – uma locução abrangente e talvez mais abrangente - e a sociedade.

Um último aspecto vinculado à orientação de estudos e pesquisas: a bibliografia complementar ao final de cada capítulo tem o objetivo de orientar os mesmos, procurando trazer maior amplitude, bem como facilitar a necessária interlocução em torno da Educação Superior.

 

 

 

O Curso de Lourenço Filho na Escola Normal do Ceará

 

O Curso de Lourenço Filho na Escola Normal do Ceará
Autoras: Maria Henela Camara Bastos; Maria Juraci Maia Cavalcante (Org.)
Coautores: Carlos Monarcha; Marcus A. Taborda de Oliveira; Marcia de Paula Gregorio Razzini; Wagner Rodrigues Valente; Alberto Perotti; Wagner Wuo; Beatriz Daudt Fischer; Maria Stephanou; Maria Teresa Santos Cunha; Elenice de Souza Lodron Zuin; Nídia beatriz Nunes Kiefer; Marcus Vinicius da Cunha
Editora: Alínea
Site da editora: www.atomoalinea.com.br
E-mail para contato:  mhbastos@pucrs.br

Resumo do livro: esta coletânea pretende trazer uma significativa contribuição aos estudos sobre a atuação de Lourenço Filho, sua especificidade reside na fonte utilizada. Como afirma o professor Jorge Nagle, em seu prefácio, esta iniciativa é "louvável porque significa preocupação em preservar memória da escola brasileira - fato que já não é tão comum, ao lado do desaparecimento ou da simples destruição de documentação de passado, até o mais recente; mais ainda, louvável por preservar memória da escola brasileira, no caso, memória de natureza didático-pedagógica. Pois se trata de anotações de ex-alunas de Escola Normal, de Fortaleza, no início da década de 1920".

Álbum com Pequenos Trabalhos de Pedagogia são dois cadernos elaborados pelas alunas normalistas contendo a recepção dos conteúdos ministrados na cadeira de Psicologia, Pedagogia e Didática, lecionada por Lourenço Filho, durante o ano letivo de 1923. Um caderno foi por elas dedicado ao professor Lourenço Filho, no dia 24 de novembro de 1923, na solenidade de formatura. O outro, ao Diretor da Escola Normal Pedro II e professor de Metodologia da Higiene Dr. João Hippolyto de Azevedo e Sá.

Ao fazermos circular essas autorias, objetivamos partilhar uma cultura pedagógica que começou a ser esboçada no interior da tão jovem e já velha República do Brasil naquela década de 1920. Uma cultura que foi feita de modo entusiasmado, numa atmosfera política de mudança e construção da nação, onde a escola era 4 o local do ensaio e a normalista, depositária da esperança de uma nova educação de crianças. Tudo era novo, embora o modo de ensinar a novidade ainda fosse herdeiro da tradição. Palestrantes encheram auditórios e ouvintes ávidos estavam ali para aprender a fazer um modo novo de ensinar e ser social. As lições do jovem Lourenço Filho foram copiadas em silêncio pelas ainda mais jovens alunas da Escola Normal Pedro II. A forma ordenada com que ele as expôs, permitiu que as novas ideias fossem facilmente captadas e registradas nos cadernos. Guardados como relíquias e funcionariam, por uma década ou mais, como guias da nova ação pedagógica recomendada para receber os rumores revolucionários da década seguinte.

Ao publicar os interessantes capítulos desta coletânea, queremos partilhar o nosso interesse por um momento dos mais significativos da construção da Escola Nova no Brasil.

 

 

 

Instituições Educativas: hinstórias (re)constrídas

 

Instituições Educativas: histórias(re)contruidas
Autoras: Jocyléia Santana; Maurides Macedo; Olga Cabrera; Orlinda Carrijo (org.)
Coautores: Maurides Macedo
Editora: Editora da PUC de Goiás
Site da editora: www.ucg.br
E-mail para contato:  jocyleiasantana@gmail.com
 
Resumo do livro: esta obra reúne pesquisas de investigadores da educação que participam do Programa de Cooperação Acadêmica CAPES/UFG/UFT. Mesmo sem haver uma resposta definitiva, uma maneira de entender a problemática é retomar a pesquisa e o estudo da história das Instituições Educativas. Com essa perspectiva, uma investigação dessa natureza evidentemente só poderá ser tecida entre a  história, a história regional e o contexto nacional e internacional.

Este livro mostra que o sentido da historia educativa não termina na escola, mas que se inscreve na história da cultura e da transmissão cultural, enfim, na sociedade. Pensar e ousar fazer esta história significa descrever esta sociedade tal como ela é representada nas diversas instituições analisada neste trabalho.

 

 

 

 

 

 

 

Indique esta página a um amigo! Preparar para Impressão

coleção horizontes

 Lançamentos