Caros sócios, 

divulgamos convite para submissão de trabalhos:

The Times They Are A-Changin'
A REBELIÃO GLOBAL DOS ESTUDANTES DURANTE O LONGO 68

Simpósio de História da Educação

3 a 5 de outubro de 2018

Universidade de Valencia - Espanha

Convite para apresentação de trabalhos
Idiomas admitidos: espanhol, italiano, português, francês e inglês.

http://espaciotiempoyeducacion.com/ocs/index.php/68/68

Os movimentos estudantis universitários que se desenvolveram em escala global durante o ano de 1968 foram uma expressão significativa da onda de novos movimentos sociais e uma manifestação genuína de uma nova categoria social e cultural: os jovens em ação. O alcance desses movimentos foi amplo, dependendo das características culturais, dos sistemas políticos, das diretrizes da Guerra Fria, das situações socioeconômicas e de várias idiossincrasias instaladas nas regiões onde desenvolveram e, em cada contexto, diferenciando-se de universidade para universidade e dependendo das culturas acadêmicas, das tradições municipais e dos equilíbrios das forças sociais.
 

O objetivo deste Simpósio é criar um espaço de reflexão e troca de ideias entre pesquisadores de diferentes origens e correntes historiográficas sobre jovens estudantes universitários em ação durante o longo 68. Esta expressão pretende enfatizar o caráter «expandido» do «momento global» que representou esse ano. Em 1968, desde os seus princípios, foram reservadas inúmeras e intensas atuações de jovens e estudantes, algumas delas especialmente memoráveis, como a Passeata dos Cem Mil, a Primavera de Praga, o Massacre de Tlatelolco ou o de Maio de 68 em Paris, que logo tornou-se parte substancial da mitologia revolucionária juvenil, encontrando ecos em si mesma nas décadas posteriores. Mas, as trilhas desta onda de rebelião juvenil pode ser seguida desde a Grande Revolução Cultural e Proletária, em meados de 1966, bem como no ano de 1969, com episódios particularmente significativos de atividade juvenil e universitária, como no Japão ou nos Estados Unidos, onde se realizou o festival de Woodstock, que se tornaria rapidamente parte do imaginário social juvenil como referência da contracultura nos anos 1970 e parte da década de 1980.
 

Será dada especial atenção - mas não somente - aos seguintes aspectos, sempre ligados ao tema geral do Simpósio:

•       As sinergias, influências, intercâmbios e enterlaçamentos internacionais dos movimentos de estudantes universitários.
•       O contexto político e pedagógico das motivações, reivindicações e aspirações da juventude universitária.
•       Capacidade de mobilização social, integração de atores políticos alternativos e negociação com as Instituições.
•       O componente filosófico e os antecedentes sociológicos dos «jovens em ação».
•       A mulher como protagonista de '68.
•       Culturas e contraculturas juvenis.
•       Representações das mobilizações estudantis em imaginários sociais.
•       Mitologia revolucionária.
•       A dimensão educacional da ação juvenil universitária.
•       Os discursos e experiências de desenvolvimento social, cultural e político dos ambientes comunitários.
•       Impactos e/ou vestígios do longo 68.

Este Simpósio também visa contribuir para os debates atuais sobre a situação da comunicação científica na área da História da Educação. Essas questões serão propostas no II Workshop de Revistas da História da Educação.